Tel.: 21 884 41 00  |  Fax: 21 884 41 09

Vila Berta, 7 R.C. Esq.º  |  1170-400 Lisboa

Ímanes: Atrações que podem ser fatais!


Casos clínicos  

Um bebé de 18 meses foi levado para o hospital com vómitos. O Raio-X mostrou que tinha engolido 23 ímanes e teve de ser submetido a cirurgia de urgência.

Como precaução o irmão gémeo também foi radiografado e percebeu-se que tinha engolido “apenas” 4 ímanes pelo que também teve de ser operado. O brinquedo com ímanes tinha sido oferecido a um irmão mais velho.  

Mas não é só para os bebés que os ímanes são um perigo! Uma criança de 12 anos engoliu 54 ímanes para ver se o seu estômago ficava magnético e quando se sentiu mal disse aos pais que teria engolido “apenas” 2 ímanes! Outra, de 9 anos, fez o mesmo, mas em menor quantidade, aliciada por um vídeo no TikTok…  

Como reconhecê-los? 

Em Portugal não se tem falado sobre acidentes deste tipo, com ímanes pequenos, por vezes muito fortes, chamados ímanes de alta resistência, que fazem parte de brinquedos para crianças, jogos para adolescentes ou adultos, puzzles, piercings falsos para pôr na língua, artigos de artesanato e ímanes decorativos (para afixar no frigorífico) entre muitos outros. Além disso, podem ser adquiridos em diversos tipos, tamanhos e formas (barra, esferas, discos, etc.) e em grandes quantidades. Por exemplo estes ímanes de alta resistência em forma de esferas pequenas (imagem 1) são brinquedos de adultos, pois servem para montar em diversos formatos/desenhos – pulseiras, torres, correntes.  

Na imagem 2 vemos ímanes com formato semelhante ao de doces – são barras, geralmente coloridas, destinadas a fazer construções, existentes em jogos educativos para “aprendizagem de ciência, tecnologia, engenharia e matemática”. 

Qual o problema? 

Os ímanes de alta resistência podem ser até 10 vezes mais fortes do que os normais. Quando ingeridos atraem-se uns aos outros dentro do tubo digestivo, com risco de compressão da parede digestiva entre dois ímanes ou de torção intestinal. Isto pode levar a compromisso da circulação sanguínea (necrose) e/ou perfuração intestinal (lesões muito graves e potencialmente fatais) 

Quando é engolida uma amálgama de pequenos ímanes todos unidos o problema pode ser menos grave pois seguem juntos o caminho normal no tubo digestivo. 

Os imanes são especialmente perigosos quando são engolidos separadamente e espaçados no tempo, uma vez que o risco de lesões é consideravelmente maior, pois atraem-se uns aos outros dentro do corpo, em diferentes zonas do intestino, causando as lesões descritas nos tecidos comprimidos entre 2 ou mais imanes.  

Não esquecer que os ímanes, tal como todos os objetos pequenos, também representam risco de asfixia ou sufocação (menores que 3,2 cm ou com diâmetro de 4,5 cm). 

Sintomas e tratamento 

Dores de estômago, náuseas, vómitos e febre são alguns dos sinais e sintomas de que uma criança pode ter engolido um ou mais ímanes e que facilmente se confundem com uma gastroenterite. Por vezes, a criança apenas aponta para a barriga ou para a garganta, e os sintomas podem ser pouco específicos e irem-se alterando. Em caso de suspeita a criança deve ser levada imediatamente ao Hospital, pois só mediante um exame de Raios X é possível confirmar o diagnóstico. As consequências podem ser diversas, desde infeções graves a distúrbios digestivos ao longo da vida ou até mesmo a morte. 

Extraí-los do organismo pode ser ainda mais complexo do que retirar pilhas de botão, como mencionado num outro artigo que a APSI publicou recentemente. Exige intervenção cirúrgica de urgência, por vezes muito longa e difícil, eventual internamento em cuidados intensivos e possibilidade de vir a necessitar de cirurgias subsequentes, implicando cortes de partes do intestino delgado ou grosso e do apêndice. 

Estratégias de prevenção 

- Todos os ímanes e produtos que os integram, especialmente os de alta resistência devem ser guardados longe da vista e do alcance das crianças pequenas que tendem a meter tudo na boca — hábito que faz parte do seu desenvolvimento; 

- Colocados no frigorífico devem ficar o mais alto possível e não devem ser dados aos bebés e crianças pequenas para brincarem; 

- As crianças mais velhas, os adolescentes e mesmo os adultos devem saber o perigo que representam, as lesões e sequelas irreversíveis que podem provocar e como é importante nunca os meterem na boca; 

- Ao utilizarem brinquedos ou jogos com ímanes, crianças, adolescentes e adultos devem guardar bem todas as peças – é importante contá-las, antes e no final do jogo, para garantir que não ficou nenhum íman perdido. 

Normas de segurança 

A norma europeia EN 71 (Segurança de brinquedos) determina os requisitos legais para a conceção, construção e venda de brinquedos destinados a crianças menores de 14 anos sendo que os ímanes estão contemplados nesta norma. Na realidade, os brinquedos magnéticos produzidos por fabricantes idóneos têm cumprido as normas de segurança e a legislação europeia, mas o problema não é fácil de resolver pois estes ímanes pequenos de alta resistência também são vendidos como brinquedos ou dispositivos para adultos e apesar de conterem avisos de segurança são perigosos para as crianças quando deixados ao seu alcance. Além disso, é possível e bastante fácil comprar online muitos brinquedos magnéticos perigosos, sem garantias de que sejam seguros e sem os alertas de segurança obrigatórios. 

Também a Diretiva Geral de Segurança de Produtos (2001/95/CE) exige que todos os produtos comercializados na União Europeia sejam seguros na sua utilização normal ou razoavelmente previsível. Assim, existem regulamentos que impõem controlos sobre outros tipos de bens de consumo contendo ímanes, como brinquedos / dispositivos para adultos ou outros produtos comercializados, como por exemplo piercings falsos para a língua. 

Situação em Portugal 

Em Portugal não há uma recolha sistemática nos hospitais nem nenhum sistema de alerta para casos de acidentes com ímanes, ocorridos com crianças e adolescentes, pelo que se desconhece o número e a gravidade dos casos que acontecem no nosso país. Em Inglaterra suspeita-se de um aumento de casos nos últimos anos, nomeadamente em alertas para famílias e profissionais lançados pela ROSPA - Royal Society for the Prevention of Accidents e pelo Child Accident Prevention Trust. 

Nos sites destas entidades é possível encontrar diversos casos clínicos de acidentes com crianças de diferentes idades. 

Esperamos que este artigo possa ajudar as famílias a evitarem acidentes com ímanes.  

Alerte os seus familiares e amigos, dando-lhes a conhecer a APSI e este artigo! 

 ©APSI2022  

parceiros


  • ESSILOR
  • Ford
  • Microsoft
  • Montepio Geral
  • Mudum
  • ANSR
  • CM Cascais
  • DGS
  • DGC
  • Dorel
  • Estrelas&Ouricos
  • SIBS
  • Fundação MAPFRE
  • Sinalux
  • Ardozia
  • Frotcom
  • Índice Nacional Terapeutico
  • Pumpkin
  • Mustard
  • SAGIES
  • EIT